Um Lar Com Muito Ofício

Ontem recebi um aviso pra colocar um corrimão pela moradia de uma mulher mais velha que tinha acabado de quebrar o quadril ao chão descendo as escadas. Esta velha tinha sido operada e neste momento estava em casa, ainda convalescente, e pude discutir com ela um tanto no momento em que cheguei e outro antes de me despedir, uma vez que o trabalho estava terminado. E o faz parelho ao volante ou guidão na avenida, em nosso posto de trabalho e no espaço onde carecemos notar-nos mais eficientes, nosso próprio lar.

Desta forma, e visto que um dos grupos populacionais mais sensíveis a estes segundos fatais são nossos maiores, nesta postagem não irei localizar grandes segredos revolucionários que jamais se vos tivessem passado na cabeça. Não. Sirva isto como disclaimer pra que, desta maneira, não me digais que “isto neste instante sabia”.

a Minha vontade hoje não é sorprenderos, porém concienciaros de tomar precauções que, pontualmente, todos nós conhecemos e que, não obstante, a todo o momento dilatamos “para no momento em que tiver um tempo livre”. “. E é isto é o que mais dá raiva: o saber, e não fazer mais nada, até que prontamente é tarde demais. Sumemos a isto uma realidade demográfica: Portugal está a envelhecer, e em vista disso temos ainda mais idosos em residência.

  • Os Cajuilitos
  • Santa Ma. Tulpetlac
  • Ter uma direção clara
  • Celebrando tuas vitórias
  • 3 Base de freguêses
  • Carvões do Cerrejón utiliza uma estrada férrea de bitola modelo

Às vezes, vivendo conosco ou, o que implica ainda mais risco, sozinhos. E, em qualquer dos dois casos, necessitamos nos responsabilizar eles, sejamos filhos, netos, sobrinhos ou até mesmo seus colegas. Portanto, proponho uma ideia a todos os que andeis esses dias nesta postagem: inventémonos o encerramento-de-semana da segurança interna pros nossos idosos. Muito descomplicado: – lhes compramos alguma coisa de prazeroso -esta parte é um bônus extra para eles, agradecer infinitamente – como várias flores, uma comida ou aquele detalhe que você domina que faz com que eles ilusão.

Nos armamos em sua moradia para visitá-los, e nos damos uma volta pela mesma no momento em que lhes perguntamos se não necessitam de uma pequena ajuda com algo em qualquer estadia. Analisemos cada espaço, pensando que os idosos perdem com mais praticidade o equilíbrio, têm maiores dificuldades para andar e vem cada vez pior. Vamos em seus pés cansados e busquemos cada traço, cada oportunidade de tropeçar, cada possível melhoria de sua propriedade de movimentos. As quedas são associadas a traumatismos graves e, em alguns casos, alertam de doenças ainda não diagnosticadas. De fato, desejamos pensar que o quadril quebrada, é resultância da queda, no momento em que, na realidade, várias vezes a luxação ou fratura de quadril é a que produz a queda em si.

As quedas ocorrem principalmente na existência de solos pouco limpos ou muito polidos e escorregadios, má iluminação da habitação, escadas e banheiros não adaptados, tapetes, mal localizadas ou enrugadas. · Manter o chão limpo e livre de obstáculos.

· Firmar as estantes à parede, mesmo as de pé e não sobrecargarlas. · Dispor de sensacional iluminação nas casas de banho, cozinha, quartos e escadas, pois são as áreas da casa onde mais acidentes, se sofrem. · Guardar as coisas que são utilizados com periodicidade ao alcance da mão. Impossibilitar utilizar os sótãos, prateleiras e zonas altas de modo contínuo, tal como ter que curvar-se repetidas vezes.