Antigo Regime Na França

O Antigo Regime (em francês, ” Ancien Régime) é um termo, em princípio, aplicado à História de França, mas a extensão de seu uso tornou-se uma ordem historiográfica aplicada a Europa Ocidental no decorrer da Idade Moderna. A inevitabilidade de centralização deste período estava diretamente ligada à questão das finanças reais e a técnica de sustentar as batalhas.

Uma chave pra essa centralização foi a substituição dos sistemas pessoais patrão-freguês organizados em torno do rei e de outros nobres franceses, por sistemas institucionais em redor do estado. A construção dos Prefeitos —representantes do poder real nas províncias— socavaron vasto porção do controle do território na nobreza regional. O mesmo se poderá expressar da convicção posta pelos tribunais reais, a noblesse de robe, que cobria os cargos de juízes e conselheiros reais.

a começar por finais do século XV até o século XVII, a França se tornou uma expansão territorial em massa, e pela tentativa de anexar tuas províncias em um conjunto administrativo unido. O representante do rei em suas províncias e cidades era o gouverneur (“governador”).

  • 1 Organização 1.1 Processo de seleção
  • Presidente: Marcelino Igrejas
  • dois Transição presidencial
  • dois Partido Comunista dos Povos de Espanha
  • Membro da Assembleia Europeia das Ciências e da Tecnologia. São paulo, 1994
  • verificou-Se que alguns dos pretextos utilizados pra defesa não são válidos

Estes funcionários reais eram escolhidos entre a mais alta nobreza. Os governadores de províncias e cidades (normalmente encargos combinados) tinham uma função predominantemente militar, encarregada da defesa e a polícia. Com o nome de lieutenants généraux — (“tenentes gerais”) bem como tinham a técnica de convocar os parlamentos provinciais, os estados provinciais e as organizações municipais.

O título gouverneur apareceu em primeiro espaço, ante Carlos VI. A Portaria de Blois de 1579 reduziu teu número de 12, no entanto outra de 1779, o que aumentou a 39 (18 governadores de primeira categoria, vinte e um (segunda). Mas eram principalmente os representantes do rei, e os seus cargos podiam ser revogados pelo teu simples desejo, dado que o princípio atuavam sob a autoridade real com a natureza comisarial. 4. Alsácia (Estrasburgo, cons.

5. Artois (cons. provinc. 6. Roussillon (cons. souv. 10. Córsega (fora do mapa, Ajaccio, cons. 14. Sabóia, feudo do Reino da Sardenha(parl. Criaram-Se novas divisões em uma tentativa de reformar o sistema. As recettes générales, comumente conhecidas como généralités (“disposições gerais”), e monitoradas no começo por receveurs royaux (“cobradores reais”), foram primeiramente distritos fiscais. Os primeiros 16 foram montados em 1542 por um édito de Henrique II. Suas funções aumentaram, até que em meados do século XVII, as généralités ficaram perante a autoridade de um estado, ocasionando-se um automóvel para a expansão do poder real, em temas de justiça, impostos e polícia.

O intuito de fazer uma arrecadação eficiente foi uma das maiores contribuições pra centralização administrativa de todo o tempo. Tamanho ficou uma fonte principal de rendimentos reais. Clero e a nobreza, funcionários da coroa, militares, magistrados, estudantes e professores universitários, e villes franches (“vilas francas”, como Paris) estavam isentos (todavia pra terras não nobres que possuíam no pays d’estados da áfrica central, como é explicado mais abaixo). As províncias eram divididas em três categorias: pays d’élection’, pays d’estados da áfrica central e pays d’imposition.